Como médicos podem usar mídias digitais para atender a perguntas e compartilhar informações

É possível criar uma rotina rápida de criação e compartilhamento de conteúdo para economizar tempo e ganhar autoridade na imagem como médico

Em tempos de pandemia de Covid-19, médicos e outros profissionais da saúde são bombardeados com informações, muitas vezes antes do restante da população. Não é incomum que esse profissional se torne a principal fonte de informações para familiares, amigos e pacientes, que recorrem a ele com dúvidas ou querendo confirmar dados, opiniões, entre outros. Mas, e quando a responsabilidade de ser uma fonte de informação acaba sobrecarregando o profissional? Veja como estabelecer limites para essas situações e usar a tecnologia a seu favor.

Como usar as mídias digitais para criar e compartilhar conteúdo

Responder a perguntas comuns sobre o Coronavírus ou opinar sobre notícias recentes com alguém parece ser algo inofensivo, e realmente é. Mas, se pensarmos que um médico tem vários pacientes, amigos de outras áreas de atuação e familiares leigos, e cada um deles decidir contatá-lo, ao final do dia ele terá inúmeras mensagens acumuladas. O tempo destinado a essa demanda pode ser estressante, ainda mais após a jornada de trabalho. Para não deixar ninguém na mão, algumas medidas podem ajudar:

Faça uma curadoria de conteúdo – selecione um dia em que a carga de trabalho é menor e reúna as perguntas mais comuns que você tem sido abordado, junto a links de artigos e reportagens atuais que acha pertinente para o público leigo.

Crie conteúdo que atenda às questões do seu público – depois que separou as dúvidas, pense em como você pode respondê-las de uma vez só. A maneira mais eficaz, rápida e fácil de ser divulgada é através de vídeos. Não é necessário uma superprodução, basta a câmera do seu celular apoiada em um local calmo, como a sua própria casa. Muitas pessoas esperam ouvir a opinião dos médicos sobre algum fato novo divulgado na mídia. Se achar pertinente, também pode gravar seus comentários.

Abra canais de divulgação de conteúdo – caso ainda não tenha. Se não tiver um site ou blog e for inviável se dedicar a criar um durante esse período, faça uma página profissional, desatrelada do perfil pessoal, no Instagram e/ou Youtube. Essas plataformas são as mais amigáveis para divulgar conteúdo que atenda a seu público. Além disso, crie um grupo no WhatsApp ou Telegram e adicione pessoas que costumam recorrer a você como fonte de informação.

Comunique às pessoas próximas sobre a sua iniciativa – seja transparente. Faça um pequeno texto explicando sua rotina de trabalho e informando que irá responder a dúvidas e comentar casos em suas páginas, para que possa atender a todos. Você pode estabelecer que as pessoas usem o grupo de WhatsApp e Telegram para enviar as dúvidas relacionadas à Covid-19 (assim alivia o fluxo de mensagens da sua caixa pessoal). Depois, elas poderão conferir seus conteúdos relacionados no Instagram e/ou Youtube.

De início pode parecer um trabalho maior do que atender as pessoas separadamente, mas, ao estabelecer essa rotina, você:

  • Se sentirá menos sobrecarregado e pressionado a responder a todos prontamente, já que as dúvidas e conversas estarão todas em um único grupo, em que as pessoas podem trocar ideias entre si;
  • Cria uma autoridade sobre a imagem como médico, já que seu conhecimento será divulgado de uma maneira profissional, em que as pessoas podem compartilhar e/ou recorrer quando quiserem. Diferente de responder verbalmente ou por áudio no WhatsApp, em que a informação pode ser esquecida ou apagada a qualquer momento;
  • Economiza tempo. Ao final das contas, o investimento de tempo para abrir os canais de divulgação será inicial, apenas. Ao gravar um ou dois vídeos, o tempo empregado é muito menor do que responder a conversas individualmente.

*A Bayer não tem parceria ou se responsabiliza pelos serviços fornecidos pelas empresas citadas no artigo.

<< voltar para Covid-19