Como organizar as finanças de casal

Muitos casais se aproximaram neste momento da quarentena. Parte deles até decidiu juntar as escovas de dente —e, consequentemente, os boletos.

Controlar as finanças individualmente já pode ser um complicado, mas organizar a vida financeira em dupla não precisa ser um desafio ainda pior. Confira algumas dicas de educadoers financeiros para a vida (e os boletos) a dois:

Quanto cada um ganha? – Nem sempre é a conversa mais agradável do mundo, mas será preciso saber qual o salário líquido de cada um para definir como será a divisão dos gastos —muitas vezes, o recomendado é que a divisão seja proporcional ao salário de cada membro do casal, segundo o educador financeiro André Bona.

Planejamento financeiro – Não há segredo: listar as despesas fixas, variáveis e supérfluas para então fazer ajustes.

Metas conjuntas – Ter uma ou mais "linhas de chegada" pode fazer a diferença ao planejar a vida financeira do casal. É importante proporcionalmente quanto cada um deve economizar e investir para alcançar um objetivo.

Contas conjuntas – Não há unanimidade quanto à criação de uma conta conjunta, mas é sempre importante ter em mente que gastos e necessidades individuais sempre existirão. O educador financeiro Eduardo Amuri conta que criou uma conta conjunta para os gastos compartilhados com sua companheira, como aluguel e supermercado.

Arranjos prévios – Também de acordo com Eduardo Amuri, não há um jeito certo ou errado de organizar as finanças a dois, mas é válido tirar o bode da sala e conversar sobre qual o melhor arranjo financeiro. Assim, caso surja um contratempo ou imprevisto, o casal já tem uma noção de como enfrentar a situação.

Para investir – É possível criar uma conta em uma corretora atrelada a uma conta conjunta, porém só é possível associá-la a um CPF. Uma possibilidade é definir um dos integrantes do casal como titular e firmar uma procuração para o outro movimentar os valores.

*A Bayer não tem parceria ou se responsabiliza pelos serviços citados e prestados por terceiros.

<< voltar para Covid-19