Como se tornar um médico do futuro e saber mais sobre medicina de precisão

Considerada por alguns como a "medicina do futuro", a adesão à medicina de precisão conquista novos espaços. As aplicações variam: vão desde áreas que trabalham para incorporar cada vez mais a personalização, como a oncologia, até novos campos, como o uso em abordagens do novo coronavírus, conforme publicado em artigo do JACC (Journal of the American College of Cardiology).

Segundo definição da professora da UFRJ e pesquisadora do Ipea Daniela Uziel, a medicina de precisão combina os dados já utilizados para diagnóstico e tratamento (como sinais, sintomas, histórico, exames) com o perfil genético do indivíduo, o que possibilita escolher, por exemplo, as drogas mais eficazes ou com menos efeitos colaterais.

O CDC (Centers for Disease Control and Prevention, ou Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA) trabalha com o conceito de "saúde de precisão", em que a personalização não fica restrita ao que ocorre dentro dos consultórios e hospitais, mas também no estilo de vida de cada pessoa. Há vários exemplos:

  • Detalhamento do histórico familiar para avaliar a probabilidade do desenvolvimento de doenças
  • Uso de dispositivos para monitorar informações de saúde em tempo real, como pressão arterial e nutrição
  • Uso de informação coletada em redes sociais para acompanhar o surgimento e desenvolvimento de doenças ou outras tendências de saúde
  • Sequenciamento genômico para encontrar, rastrear e controlar surtos infecciosos
  • Triagem em recém-nascidos para identificar condições médicas antes que se tornem complicações mais sérias
  • Possibilidade de realizar intervenções médicas após identificar mutações genéticas herdadas, antes que uma doença se manifeste
  • Perfil molecular de tumor para decidir melhor tratamento pra câncer
  • Aplicação da farmacogenômica para ajudar médicos a prescrever a droga e a dosagem que tem mais chances de funcionar

As iniciativas relacionadas a medicina de precisão no Brasil se proliferaram nos últimos anos, sobretudo na oncologia, ainda que o país esteja alguns passos atrás de outros pioneiros nessa área. Grandes redes de laboratórios e de hospitais possuem suas iniciativas próprias. Além disso, há iniciativas como a BIPMed (Brazilian Initiative on Precision Medicine), a ABMPP (Associação Brasileira de Medicina Personalizada e de Precisão) e o GBOP (Grupo Brasileiro de Oncologia de Precisão).

 

Cursos e especialização

Interessados em se aprofundar na área de medicina de precisão podem procurar cursos e eventos sobre o assunto, oferecidos tanto por hospitais quanto por empresas ligadas à área da saúde. Reunimos algumas oportunidades nacionais e internacionais:

- Curso online Precision Medicine and Genomics CME, da AMA EdHub

- Sessão no XI Board Review in Medical Oncology: Atualização, Discussão e Inovação, do Ensino Einstein (29.jul.2020)

- Curso de Oncologia de Precisão Aplicada, do Ensino Einstein (set.2020 a set.2021)

- Painel no Congresso Franco Brasileiro de Oncologia (1º.out.2020)

- Bolsa de estudos Be In Precision Medicine, da Université Grenoble Alpes

 

*A Bayer não tem parceria ou se responsabiliza pelos serviços citados e prestados por terceiros.

<< voltar para Covid-19