Conheça mais sobre a previdência privada, opção de investimento a longo prazo

Uma dúvida muito frequente de quem começa a investir dinheiro é se vale a pena aportar na previdência privada. E a resposta, como quase tudo nos investimentos, é que depende muito do seu perfil.

Os fundos de previdência têm vantagens fiscais que podem ser interessantes, mas é preciso ficar atento pois as vantagens podem ser anuladas pelo custo dos planos ou por uma escolha incorreta da seguradora.

O que é previdência privada?

Previdência privada ou previdência complementar são formas investir para complementar a aposentadoria ou para atingir objetivos a longo prazo.

Como funciona a previdência privada

As seguradoras oferecem aos investidores os chamados planos que calculam quanto é preciso guardar por mês para acumular um valor que garanta a renda extra no fim de um determinado tempo de aporte.

Taxas cobradas pelos fundos de previdência privada

Os fundos de previdência têm, em geral, duas taxas principais – a  de administração, que incide sobre o patrimônio investido e a de carregamento, descontada de cada aplicação a título de cobrir os custos da empresa administradora.

PGBL x VGBL

O Plano Gerador de Benefício Definido (PGBL) permite abater as aplicações na declaração anual completa do Imposto de Renda, enquanto o Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL) não permite. Por isso é importante checar qual é o seu perfil antes do investimento.

Tributação

Os fundos de previdência privada têm algumas vantagens fiscais. A primeira é a possibilidade de os valores aplicados serem descontados até o equivalente a 12% da renda anual na declaração completa do Imposto de Renda. Esse valor será pago apenas na retirada do dinheiro do fundo, que tem de ser um PGBL. Já o VGBL, como mencionamos, não permite dedução.

A Bayer não tem parceria ou se responsabiliza pelos serviços citados e prestados por terceiros.

<< voltar para Covid-19