Importância de redobrar cuidados com higienização e EPIs na retomada de atividades

Os principais estados já adotaram medidas para reabertura e retomada parcial das atividades, inclusive São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, os mais populosos do país.

Por conta da maior circulação de pessoas, cresce a necessidade de reforçar as medidas de proteção. Tanto nos cuidados ao sair de casa, assim como na higienização de compras, roupas, e até mesmo superfícies dentro de casa. Os médicos e demais profissionais da saúde não podem se descuidar, especialmente em relação aos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), e é sempre válido reforçar com os pacientes a importância de manter os hábitos adotados até aqui.

Para manuseio de EPIs, além de dicas no site do Se Cuida Doutor, é possível acessar o EPI Saúde. A plataforma foi criada por pesquisadores do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da USP e ensina a forma correta de manutenção, uso e descarte desses equipamentos.

O site conta com uma página dedicada a cada tipo de EPI: desde máscaras até aventais, luvas, e botas. Cada item conta com um texto descritivo de como utilizar o equipamento, seguido de vídeos ou ilustrações demonstrando como colocá-lo e como retirá-lo.

Para Ana Marcia de Sá Guimarães, coordenadora do projeto e professora do Departamento de Microbiologia do Instituto de Ciências Biomédicas da USP, o manuseio desses equipamentos precisa ser feito sempre com muita cautela. “É um momento crítico, em que o profissional de saúde já está cansado e um erro pode resultar em sua infecção”, complementa a especialista.

Sempre que há planos de sair de casa, os cuidados devem começar já na porta. De acordo com Leticia Kawano Dourado, médica pneumologista e pesquisadora clínica do Hospital do Coração em São Paulo, o elevador, por exemplo, é um local potencialmente contaminado.

A médica separou algumas dicas importantes para manusear compras, entregas e com lidar com as roupas e limpeza da casa de acordo com as recentes pesquisas de transmissão da COVID-19. Confira abaixo.

O que pode ser considerado um isolamento seguro?

  • Higienize as mãos de forma adequada regularmente
  • Na presença de qualquer sintoma respiratório, coloque máscara simples dentro de casa até que o quadro se defina

Como sair de casa de forma segura?

  • Prefira horários de menor movimento para não se expor por tempo prolongado
  • Mantenha distância de outras pessoas (mínimo de 2 metros)
  • Use máscara
  • Lave as mãos frequentemente ou utilize álcool 70% para isso
  • Jamais levar as mãos ao rosto

Não há um consenso quanto ao que deve ser feito ao voltar para casa após uma ida ao supermercado ou à farmácia. Muitos especialistas recomendam tomar um banho, lavar a roupa que foi para a rua ou separá-la em um cantinho de quarentena por 48 horas. Há, porém, um grupo relevante de pesquisadores que não vê necessidade em adotar hábitos tão rígidos —lavar corretamente as mãos pode ser suficiente se ninguém tossiu ou espirrou próximo a você.

E as compras? Preciso higienizar tudo que comprei?

Aqui há um certo grau de incerteza na resposta pois sabemos que o SARS-CoV2 se deposita em superfícies e pode ficar ativo por um período. No entanto, não há consenso quanto à probabilidade de contaminação por essa via.

Na incerteza científica, vale a pena higienizar todos produtos que vieram do supermercado/farmácia, especialmente quem é ou convive com grupo de risco. Também é válido higienizar o chão onde se colocou as sacolas, as bancadas, e as sacolas não-recicláveis.

Como higienizar superfícies em casa? O chão, limpeza de banheiros, mesas etc?

Sempre faça a escolha pela opção de menor risco de intoxicação, em especial se o ambiente não é potencialmente contaminado (ex. uma casa onde todos estão saudáveis). Em ordem decrescente de risco de toxicidade: 1o. água e sabão; 2o. álcool na concentração de 70% (importante!); 3o. hipoclorito de sódio (também conhecido como cândida, água sanitária, quiboa) na concentração de 0,1% (ou 1.000 ppm).

*A Bayer não tem parceria ou se responsabiliza pelos serviços citados e prestados por terceiros.

<< voltar para Covid-19